Comer Bem, Que Mal Tem?

Desvende 5 mistérios da alimentação orgânica

Saiba quais alimentos mais deveriam ser substituídos pela versão sem agrotóxicos

Desvende 5 mistérios da alimentação orgânica

O assunto ainda é cercado de mitos e preconceitos, por isso vamos ajudar você a desvendar alguns mistérios dos alimentos orgânicos, ou seja: aqueles que são cultivados em o uso de agrotóxicos.

Mas antes, uma pergunta: você sabe o que são os agrotóxicos e para o que servem?

Eles são verdadeiras "armas químicas" cuja função é combater pragas nas plantações e aumentar a produtividade. Passaram a ser amplamente utilizados após a Segunda Guerra Mundial, quando a Europa enfrentava o problema da fome.

Assim, esperava-se impulsionar a agricultura e acabar com o problema. Mas, ao contrário do que se pretendia, essa utilização de substâncias químicas nas plantações não fez a fome no mundo terminar e ainda acaba gerando contaminação ambiental.

Além disso, há efeitos nocivos à saúde humana comprovados, inclusive com vítimas fatais - falaremos mais sobre isso neste mesmo artigo - continue lendo. E o Brasil, infelizmente, está entre os principais consumidores de agrotóxicos do mundo.

Agora que entendemos melhor os agrotóxicos, vamos desvendar os mitos da alimentação orgânica:

1 - É mais saudável mesmo?

Sim, e muito, porque os alimentos são produzidos livres dos vilões agrotóxicos que, de acordo com a Anvisa, podem gerar desde dores de cabeça e alergias até distúrbios do sistema nervoso central, má formação fetal e câncer.

2 - Colabora com o meio ambiente?

Sim, porque não insere substâncias químicas no solo.

3 - Os alimentos não precisam ser lavados antes do consumo?

Errado. Os orgânicos precisam ser higienizados como qualquer outro alimento. Embora muito melhor por dentro, por fora ele está submetido às mesmas sujeiras e micro-organismos.

4 - Quais alimentos são campeões em contaminação por agrotóxicos?

Verduras, legumes e frutas podem absorver as substâncias agrotóxicas. Aqui vai uma lista com os 10 alimentos com maiores níveis de contaminação, segundo a Anvisa - Agência Nacional de Vigilância Sanitária:

1. Pimentão - 91,8%
2. Morango - 63,4%
3. Pepino - 57,4%
4. Alface - 54,2%
5. Cenoura - 49,6%
6. Abacaxi - 32,8%
7. Beterraba -32,6%
8. Couve - 31,9%
9. Mamão - 30,4%
10. Tomate - 16,3%

Substitua estes alimentos por suas "versões" orgânicas sempre que puder. ;)

5 - Por que são tão caros?

Eles têm preços elevados porque ainda são produzidos em pequena escala, porque a procura ainda é baixa. O preço é alto, mas se pensarmos na alimentação orgânica como um investimento em nossa saúde no presente e no futuro, pode acabar compensando.


Curtiu saber mais sobre alimentação orgânica? Encontre outras informações sobre alimentação saudável aqui.

Adquira hábitos alimentares mais saudáveis e inspire-se assistindo ao Comer Bem, Que Mal Tem?, no Canal Sony.